domingo, 2 de novembro de 2008

O Papel amigo

Bom, já era hora de atualizar o blog não é? Não tinha nada em mente, quando lembrei-me do quanto gosto de papel. Seja pra escrever ou dobrar (amo a arte do origami, apesar de não ser profissional). Pra onde vou, se não levo, dou um jeito de encontrar, pra que eu possa dobrar algo, ou escrever alguma coisa. O tema do poema como já podem ver é sobre o papel. Sabemos que é um ser sem vida, mas pra quem gosta de escrever ou dobrar, é um grande amigo, só mesmo quem gosta pra entender essa paixão! E aqui homenageio este "ser" que se doa a nós para que possamos nele expressar nossos sentimentos, ou mesmo mostrar nossa habilidade em se tratando de dobras! Espero que gostem. Grande abraço

O papel meu amigo

Meu melhor amigo
Nesses dias de obscuridade
Dentro de minha casa interior
É o papel...
Não diz nada
Por não ter lábios
Mas, posso entendê-lo
Sincera e perfeitamente
Não tem sentimentos
Como nós temos
Mas posso senti-lo
Feliz, quando o tenho
Em minhas mãos.
Triste e solitário
Quando guardado
Dentro de uma gaveta qualquer.
Quando nele escrevo
Parece conversar comigo
Quando o dobro
Parece brincar comigo
Agradecido sou
Pela sua existência
Meu papel amigo!

Silvio Luiz

Nenhum comentário:

Tradutor - Translate

Visite-os também e surpreenda-se!