Visite minha loja no Solidarium

Coruj'arts

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Viver só

Quem nunca passou por um momento assim, que atire a primeira pedra... =D
Acredito fielmente que todos tenham passado por isso... eu sou sincero em dizer que fico pensando nisso muitas vezes, e numa dessas, fiz esse poema que segue pra expressar esse sentimento e tentar deixá-lo de lado, como se as palavras fossem como uma poção mágica e curativa, uma espécie de emplastro que, ao menos, amenizasse isso tudo... pois bem, segue o poema.

Viver só


Um amor pra toda vida

É o que todos desejam.

Mas cansado de esperar

Penso em viver só!

Esqueci o que é o amor

Não sei mais nada

Da arte de apaixonar-se.

É como aprisionar-se

Por toda a vida

A existência cansa...

Existe mesmo a esperança?

A esperança de encontrar

Um alguém que nos complete?

Já não sei mais...

Enquanto a resposta

Não se mostra

Vou viver só...


9 comentários:

Maria disse...

Ola, Silvio Luiz. A respeito da solidão, eu te diria: nunca estamos sós. Há sempre algo no ar, esperando para ser tomado por nossas mãos curiosas, nossa mente inquieta. Um novo projeto, uma sonhada viagem, um telefonema adiado, um sorriso que não demos, uma palavra que nao dissemos...Aquele poema que ainda nao escrevemos. Existe sempre uma alma à espera da nossa. Não necessariamente um amor eros, mas um amor ágape. Basta olhar em volta, e provavelmente iremos ver o amor até em uma borboleta que pousou na janela.
Um grande abraço
Maria

Marta Ide disse...

Caríssimo Silvio Luiz!!
vim retribuir a visita!!
bem, viver só ...
sou filha única ... e tenho uma teoria ... ou eles são muito dependentes ou independentes ... minha mãe ficou viúva qdo eu tinha 10 meses ... então ela tinha q ir a luta ... e qdo eu pedia ajuda para ela (tipo, fazer um trabalho na biblioteca), a resposta era: "te vira" ... e foi assim, até há pouco tempo, sempre sozinha, tive dificuldades em fazer trabalho em grupo na época da facul. Agora encontrei alguém muito especial, que qdo nos conhecemos eu já tinha deixado claro que queria morar em casas separadas ... mas ele pacientemente foi me coquistando (demorou 3 anos para eu dizer sim!!) e me fez entender muitas coisas. Sou muito grata a ele!!
E tomara que seja para sempre!!

bjbjs, Marta.

Silvio Luiz disse...

Oi Maria... é tão bom saber que não estamos sós... eu tenho consciência disso e por isso continuo a ser o que sou, e de fato, essas coisas no ar sempre me surpreendem... e como! rs. Essa diferença entre o ágape e o eros é que é interessante, mas na correria do dia a dia sem mesmo ter a intenção, elas acabam por se misturar... e foi assim que eu me sentia ao escrever o poema! Obrigado mesmo pelas suas palavras! Seja sempre vinda! Bj

Maria disse...

Silvio, gostei do post da Marta, ela diz tudo. Sobre o amor eros, que é o amor entre um homem e uma mulher, sei que é difícil de alcançar, principalmente nos dias de hoje, mas veja assim: o amor eros é como uma borboleta; vc nunca sabe quando ela vai pousar em sua janela...até que um dia, pronto! Vc abre a janela e lá está ela, voejando em sua dança mágica. Vc é tão jovem...enquanto o amor não chega, vá se preparando para quando ele chegar, e vivendo outras maneiras de amar o amor ágape.
No meu blog tem uma rosa pra você.
De coração
Maria

Silvio Luiz disse...

Oi Marta, agradeço muito a sua participação aqui! Volte sempre que quiser e puder!
Eu sempre tentei equilibrar um pouco as coisas entre ser dependente e independente. Vivo com minha família, e como sou muito ligado à minha mãe que é com quem eu passo a maior parte do tempo, tento ser um pouco de casa coisa, sabe... ela merece muito a minha atenção, e por isso entro no que a Maria disse em relação ao amor ágape: isso é o que não falta por aqui, rs. E como a Maria mesmo disse e você também, eu sei que uma hora ou outra vai aparecer alguém com quem eu possa viver a dimensão do eros, sem desconsiderar o ágape, porque acredito que numa relação os dois devem estar presentes talvez até na mesma medida.

E para a Maria: muito obrigado pela rosa... gostei muito mesmo! Fico feliz por interagir assim!
=D

Catarina Ramos disse...

Silvio!!!

Seja bem vindo!!
A Maria escreve taooo bem!!! Amo!

Ah és dos meus!! Tudo o que se relacione com Origami eu amo!!!

Dobrar estas rosas foi 'tudo de bom'!

Obrigada de coraçao!

Beijinhos lusos!

P.S.: Amei a música do Yiruma! Tao belo o solo a piano!

Silvio Luiz disse...

Oi Catarina, obrigado pelas boas vindas!
Sim, a Maria escreve muito bem sim. E agora estamos interagindo por aqui. Fico muito contente por isso.

Quanto à música, quando pensei em colocar o aplicativo no blog, logo pensei em algo calmo e sereno, que inspirasse paz, e fico feliz por saber que tenha gostado!

Bjs, e volte sempre que puder e quiser! Será sempre muito bem vinda!

=D

Marta Ide disse...

http://www.cesarmassari.com.br/index.php?code=f_41_f

caríssimo!!
este é o link para a flor de lótus!!

em alguma outra época, vivi esse amor de ágape ... acho q estou em outro ciclo, q até esqueci ...

ah, filosofar ... bom né?

boas dobras!!

bjbjs, Marta. :)

Silvio Luiz disse...

Oi Marta! Obrigado pelo link... já favoritei-o aqui no meu pc, pra ver com mais calma. Assim que eu fizer eu posto aqui no blog!

E quanto àquela questão do ágape, sem querer, acabamos por esquecer de como identificá-lo em nosso meio. Na nossa linguagem ele se trazuria como caridade, e essa eu tenho certeza de que não falta em nossas vidas... mas isso é normal... é tanta coisa que temos pra pensar não é? Vida agitada, corre-corre, mas o que seria de nós sem tudo isso?
É bom filosofar sim... rs, faz muito bem!!!

Mais uma vez obrigado pelo link!
Bjs =)

Tradutor - Translate

Visite-os também e surpreenda-se!