Visite minha loja no Solidarium

Coruj'arts

terça-feira, 5 de maio de 2009

Encontrei-te adormecido

Procurei-te no espaço do tempo
E só encontrei o vazio das horas
Clamei por ti nos campos verdejantes
E só ouvi o farfalhar das folhas secas
Busquei-te pelas ruas frias
E só avistei maltrapilhos esquecidos
Perguntei por ti à misteriosa noite
E só obtive a escuridão como resposta
Indaguei por ti ao irmão sol
E tudo o que consegui foi seu calor
Esquadrinhei por entre as belas flores
E só pude sentir a mistura dos perfumes
Vasculhei dentro em mim
E encontrei-te adormecido...
E enquanto aí estiveres
O delgado fio da esperança
Não se romperá
E quando despertares
Tudo será renovado
Pela tua inefável força.

3 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Belo poema!!Todos os sentimento pelos quais procuramos se encontram guardados em nosso interior.Só assim eles permanecem para sempre...

Parabéns!

Beijo!Sonia Regina.

Anselmo disse...

Amigo, me encanta muito ler seus poemas. Quanta beleza, quanta bondade, quanta paixão. Realmente o sentido que damos à nossa vida é insuficiente para expressarmos em palavras, mas o que digo a ti é Bravo, Bravíssimo...
Abraço

Silvio Luiz disse...

Sonia, obrigado pelo carinho! Eles estão guardados, e assim que vão se revelando, tudo à nossa volta se transforma!

Anselmo, obrigado!!! Fico lisonjeado com suas palavras, e isso me inspira a continuar!

=D

Tradutor - Translate

Visite-os também e surpreenda-se!