sexta-feira, 29 de maio de 2009

Nos braços da poesia II

Nos braços da poesia
Deito-me e deleito-me.
Versos reversos
E por muitas vezes inversos
Seduzem-me como a noite
Gélida e pontilhada de estrelas.
Os versos aconchegantes
Acalmam-me
Colocam-me em estado de paz
Paz espiritual, paz física e mental.
O jogo das palavras
Encanta-me como um jardim
De belas e perfumadas flores.
Nos braços da poesia
Viajo... para longe, para perto
Para o passado, para o futuro.
Nos braços da poesia
O tempo não é mais tempo,
Mas eternidade
Onde viver não é só respirar
Mas amar a vida intensamente
E tudo a que ela pertence!

Silvio Luiz

8 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Belo poema,Sílvio!

Nos braços da poesia a nossa alma cria asas!!!felizes dos que "poetam"!

Beijos!Sonia Regina.

Davi Machado disse...

Amigo Sílvio

cara... que honra em te conhecer!!
que poema grandioso, lindo!!! está bom demais Sílvio! é exatamente isso que sinto pela poesia e você versou com tamanha maestria digna de um trovador!!!

bom domingo pra vc e abraços!

Ivani disse...

Lindo! Seu talento me emocionou.
Beijos.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Sílvio!

Em meu blog tem um prêmio para você!

Ficarei feliz se o aceitar,pois o mérito é seu!

Beijos!Sonia Regina.

Davi Machado disse...

Oh Sílvio! tá sumido hein!!
tem prêmio pra vc em meu blog, dê uma olhada!

abraços!

cris disse...

Sabe, eu não sei como usar palavras em poesia, mas sei admirar quando vejo um grande poeta.
Eu também me sinto assim quando leio poesia, viajo e navego nas palavras e sentimentos!

Parabéns,

Cris.

Anselmo disse...

AMIGO CONTINUE AMANDO!!!!!
ABRAÇÃO

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Tem um desafio e um selinho para você em meu blog!

Beijos!!

Sonia Regina.

Tradutor - Translate

Visite-os também e surpreenda-se!