Visite minha loja no Solidarium

Coruj'arts

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Carta aberta a meu pai



Oi Pai! Como é que você está? Eu espero que esteja bem.
Pois é, você deve estar se perguntando o porquê eu estou escrevendo. Sabe como é não é? Bateu saudade, e já faz um tempinho que não nos falamos.
Bem, por aqui, não sei se você sabe, mas, está tudo muito complicado depois que você resolveu fazer essa viagem longa de última hora. Todos aqui estão com saudades de você. Eu sinto falta do seu cafezinho nem tão forte e nem tão fraco, de todas as manhãs; a mãe vive falando nas coisas que você deixou para nós cuidarmos, no sentido de que, não saberemos cuidar de tudo, do jeito que você costumava fazer; o pequeno (que já não é tão pequeno assim) acha falta das saídas que costumavam fazer, assim que você voltava do trabalho; a mana não se conforma como o fato de você ter saído e nem ter esperado ela vir pra se despedir e até o cachorro fica procurando por você em tudo o que é canto! Chega a ser engraçado (risos).
A vósinha está aqui conosco também. Ela tem dado a maior força pra todos nós. Semana passada, ela queria ir à casa da bisa, então lá se foram ela, a mãe e a tia. E chegando lá perto, ela tropeçou, caiu, e se machucou. Não foi nada grave. Fez um cortezinho perto do olho, mas agora ela está bem. Foi um susto bem grande pra todos nós, mas tudo passou.
Quanto ao trabalho, é como você dizia: tem seus altos e baixos, mas, fica tranqüilo, que eu vou contornando as situações; você mesmo já me havia alertado sobre possíveis ‘encrencas’. E eu estou seguindo o seu conselho: fazer o que é pra fazer e tudo bem feito!
Ah! A mãe também está achando falta dos seus palpites nas costuras e nos artesanatos dela. Ela tem feito cada coisa bonita. É uma boa forma dela preencher o tempo, já que você não está por aqui.
O ‘pequeno’ está cada dia maior; mais um pouco e ele estará da minha altura. Ele dá um pouco de trabalho, você sabe, mas, é coisa da idade, e isso logo passa. Daqui um tempinho ele estará saindo da escola e já buscando o seu primeiro emprego.
A mana continua do mesmo jeito: trabalhando, comprando, gastando pra não perder o costume (risos). Ela tem vindo aqui, toda a semana, com o marido, que também sente sua falta.
No mais, é isso! As coisa não mudaram tanto assim, exceto pela tua ausência.
Bom pai, encerro por aqui; outra hora nos falamos mais.
Sua benção!
Fique com Deus!

Silvio Luiz

3 comentários:

SAULO PRADO disse...

Uma viaje esta é a mais pura verdade, tenho certeza que sua carta ajudou seu pai matar a saudade de vocês...

Davi Machado disse...

Amigo Sílvio
que carta mais... nem sei o que dizer, sabes bem que teu pai olha por ti onde está, entre os anjos que te velam os caminhos!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Amigo querido!

Me fez chorar..mas sei que seu pai ficou feliz em receber notícias de seus queridos pois também deve sentir saudades.Um dia,todos,com certeza,se encontrarão!

Um beijo carinhoso!Sonia Regina.

Tradutor - Translate

Visite-os também e surpreenda-se!